terça-feira, 22 de dezembro de 2009

PARA AS MENTES "POLUÍDAS" (KIBE LOCO)

ESSA É DEMAIS! Das séries “Grandes Momentos do Cinema” e “Papai toca harmônica” (KIBE LOCO)

Verdade inconveniente




Essa semana foi uma das mais agitadas do ano. Primeiro porque se comemora o dia internacional contra a corrupção, sinal que não é só por aqui que se sofre disso. Segundo porque um bando de mentes iluminadas começou as reuniões em Copenhague, para discutir o aquecimento global e os caminhos para um meio ambiente sustentável. Pena que o balão tenha estourado. Digo isso, pelo escândalo causado pela revelação de mensagens trocadas entre cientistas, sobre pesquisas que evidenciam o aumento da temperatura da terra, que até onde se sabe sempre aumentou. Tais dados foram utilizados pelo documentário “Uma verdade inconveniente”: o filme de Al Gore sobre aquecimento do planeta, que ganhou o Oscar em 2007 e o ajudou a vencer o Nobel da Paz. Vejam lá. Acontece que os tais e-mails demonstram que o dados foram manipulados e a temperatura da terra está diminuindo ao longo dos anos e não aumentando. Por isso,a Academia de cinema já quer retirar o Oscar do documentário, eis que sua credibilidade está totalmente abalada. Apenas para que se tenha uma noção de como o assunto é serio, o pesquisador que já tinha recebido mais de U$ 10 milhões para estudar o clima, renunciou o seu cargo, visto que em um desses e-mails violados ele diz: “Apliquei um truque para aumentar as temperaturas reais de cada série dos últimos 20 para esconder o declínio”. Assim, o diretor da ONU responsável pelo painel sobre as mudanças climáticas já afirmou: “Não queremos varrer nada para debaixo do tapete”. Essa é uma verdade inconveniente.

Converse com seus filhos.



Todos nós estamos carecas de saber que o Brasil adora copiar os hábitos dos americanos e europeus. Parece que, só assim, o brasileiro conesegue ser gente. Como se tomar banho uma vez por semana e ficar obeso fossem bons comportamentos a serem copiados. Bricadeiras a parte, está surgindo no país nova mania copiada, que merece atenção dos pais e educadores. O jornal Inglês The Sun, trouxe o alerta ao publicar um artigo sobre escolas onde adolescentes usam pulseiras coloridas para trocar entre si mensagens sexuais. Por lógico que não demorou muito para essa notícia se espalhar e começar a fazer efeitos por aqui. Mas afinal, o que uma pulseira de plastico colorida no pulso de uma criança pode ter de tão mal? À primeira vista, nada. Mas na realidade as pulserinhas, podem representar um secreto código, para experiências sexuais que ainda estão por vir, onde cada cor significa um grau de intimidade, desde um abraço ao sexo propriamente dito. Sinal de que nossa civilização avança na promiscuidade. Se essa febre estourar, vai ser um Deus nos acuda, eis que já se percebe que a inocência da infância não brilha mais nos olhos dos jovens de nossa era. Cada vez mais cedo as crianças descobrem a sexualidade. Com 10, já beijam na boca, e assim por diante. Ainda existe muita discussão sobre o tema. Uns dizem que tal jogo ainda não chegou no Brasil, outros afirmam que sim. E outros ainda acham que é tudo bobagem. Respeito todas as opiniões, entretanto, quando se trata de educação infantil, nada é bobagem. Vale o alerta: converse com seus filhos.

Lula fala PALAVRÃO em Discurso - 10/12/09

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Já era colorado... Gol do Flamengo.... hehehehe

Jogo do poder

Todos sabemos que a história da maioria dos políticos brasileiros é manchada por escândalos, pilantragem e corrupção. Parece que todos têm condutas ilibadas e livres da podridão até se estabilizarem na vida pública, daí em diante, a coisa fica feia. Até parece uma doença, que contamina a honestidade do político brasileiro. Já estamos nos acostumando com dinheiro em fardo, na mala preta, no palito, nas cuecas e até nas meias, mas só por questões de segurança. É tiro para todo lado. Diante desse quadro, não podemos ser ingênuos de não entender que esses esquemas só aparecem nas vésperas de eleições, quando as alianças são rompidas e é cada um por si. Aguardem as cenas dos próximos capítulos. O rio de esgoto vai transbordar até as eleições de 2010. Só nessa semana tivemos ataques diretos a Lula, com o fito de prejudicar sua campanha pró Dilma, bem como a bomba do mensalão de Brasília, que terminou com as possibilidades de Roberto Arruda concorrer a vice-Presidente pelo DEM em uma chapa com o PSDB. Começa quente a disputa. Lula, assim como o famoso presidente americano Jimmy Carter, está tendo aborrecimentos com alguns de seus familiares. Primeiro com o filho, agora com o genro, acusado de vários crimes. Se bem que genro não é parente. A Folha de São Paulo também pegou pesado com histórias do tempo que Lula foi preso. Um contra ponto ao filme recém lançado. Já Arruda, sepultou sua vida política, ou não, basta lembrar de Collor, bem ou mal, já irá responder a pedidos de impeachment e um desgaste que silenciou o DEM nacional. É o jogo do poder.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Devasso comportamento

Impressionante como é a vida. Quanto mais o tempo passa na existência do ser humano, mais somos capazes de entender os motivos das guerras, arrogância, covardia, traição, mentiras, desrespeito, falta de caráter e maldade. Talvez até por isso que existe aquele famoso ditado que fala, “Diabo só é Diabo porque é velho”. Partindo disso, podemos afirmar que quanto mais o tempo passa, mais temos oportunidades de viver novas experiências, visualizar horizontes, conhecer lugares, conviver com pessoas e respirar novos ares, ou seja, como o passar do tempo nos tornamos capazes de melhor compreender o mundo que nos rodeia.
Então, conhecendo um pouco desse vasto universo, com olhos capazes de enxergar a malversação, o fingimento, a ganância e principalmente o sem-vergonhismo, é que conseguimos ver os porquês de tantos conflitos sociais. As pessoas têm mania de grandeza, ninguém pode ser bem sucedido se não tiver uma historia triste. Ninguém pode comprar um carro novo que está roubando ou trabalhando com algo ilícito. Ninguém tem o direito de ser honesto em um mundo cheio de bandidos. Ninguém pode colher os louros de uma vida de trabalho sério. Esse é o pensamento do nosso Brasil, país subdesenvolvido que ainda mata pessoas de fome. Esse é reflexo do pensamento social que norteia todas as rodas, da mais pobre a mais rica, da burra a intelectual, e o que é pior, sem direito de defesa. Assim, só nos resta esperar, deitados em berços esplêndidos, para sermos, mais dia ou menos dia, vítimas desse devasso comportamento


quarta-feira, 25 de novembro de 2009

“Desleixo”


Muito se tem falado em apagão nas últimas semanas. Acontece que o problema não é novo, quem não lembra o quanto o governo passado (Fernando Henrique) teve que se explicar por causa do apagão ocorrido em 2001 e do medo da falta de energia no futuro. Talvez até por isso que tanto ouvimos dizer que o Brasil não sofria mais desse mau, que teria sido ocasionado por “desleixo” tucano.
Todavia, a verdade sempre aparece. Se já estivéssemos preparados para esse problema, jamais teríamos ficado sem luz em 18 estados da nação ao mesmo tempo. Não concordam? Mais que isso, ainda subestimam a inteligência das pessoas ao dizer que o problema só teria sido ocasionado por duas hipóteses, ambas decorrentes de problemas climáticos.
A primeira possibilidade é a já divulgada, de raios nas três linhas de transmissão entre Ivaiporã (PR) e Itaberá (SP). A segunda, considerada mais provável, é que três isoladores das linhas de transmissão tenham entrado em curto-circuito simultaneamente por causa de fortes ventos e chuva.
Você acredita em Papai Noel? Isso é o mesmo que dizer que você irá ganhar na Mega Senna duas vezes. A verdade é que o todo nosso sistema de distribuição de energia foi interligado, como forma de distribuir a energia excedente de um Estado para outro que esteja necessitando.
Acontece que, essa forma de transmissão é muito eficaz enquanto está funcionando normalmente, quando acontece qualquer anormalidade, a conseqüência é um apagão de grandes proporções, exatamente como esse último.
Só para constar, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), já negou a existência de intempéries climáticas no dia do apagão, então, só pode que novamente foi por “desleixo”.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Volta nos trilhos





Nada menos que muito interessante o negócio que ocorreu nessa semana envolvendo um dos maiores megainvestidores do mundo, Warren Buffett. No maior negócio de sua carreira o investidor comprou a principal ferrovia do EUA, claramente numa aposta no futuro dos trens e da própria economia americana. Bom indicativo de que voltar a investir no transporte ferroviário é um bom negócio, aliás, sempre foi. Buffett investiu nada menos que 26,3 bilhões de dólares para comprar a totalidade das ações da ferrovia Burlington Northen.Desse simples exemplo empresarial nasce a certeza que o mundo deve, nos próximos anos, encontrar alternativas para o transporte de cargas pesadas e de passageiros, isso sem mencionar o fato do encarecimento do petróleo e da poluição causada por outros tipos de transporte que dependem diretamente dele.Aqui no Brasil a situação é ainda pior, eis que raros são os trens que circulam em nossas ferrovias, fruto da popularização dos aviões e dos veículos. Pior que isso é a falta de investimento do governo nesse sentido. Nem haverá. Basta ver o que aconteceu com nossas ferrovias, que sequer estão na bitola internacional. Mas isso é pelo fato de que a Argentina iria nos invadir através dos trilhos, não foram por interesses econômicos. Fincando o facão no toco, dá para dizer que toda a Europa e agora os Estados Unidos estão errados em investir no transporte ferroviário, só o Brasil está certo em seguir na direção contrária, se bem que também iriam se gastar alguns bilhões para os trens fazerem a volta nos trilhos.

Vamos para Espanha?




O começo do fim do mundo será anunciado por sinais tenebrosos: um céu negro, uma lua cor de sangue, estrelas desabando sobre a Terra e uma sucessão de desastres varrendo o planeta na forma de terremotos. Quem não lembra do do Apocalipse na Bíblia? Se não lembram, esses são os sinais do fim dos dias. Más notícias, eis que esses sinais já estão presentes. Quem não vê um céu bem negro nos dias que a lua não aparece? Pior, quando ela aparece, por diversas vezes, está corada de um vermelho sangue. Estrelas caindo? Sempre. O planeta é atingido por milhares de “estrelas cadentes” todos os anos.Se faltavam os terremotos, então, o que dizer desses que estão cada vez mais frequentes? Talvez por todos esses indícios, é que muitos estão crentes que o mundo está prestes a terminar. Dentre essas pessoas, o escritor americano Patrick Geryl, que já está se preparando para o fim do mundo, inclusive, construindo em Sierra Nevada, (Sul da Espanha - 2.000 metros acima do nível do mar) um abrigo capaz de resistir ao Armagedom. Acredita o escritor, após analisar indícios históricos, que o planeta terminará em 21 de dezembro de 2012. São tantos indícios dessa catástrofe que será lançado agora no dia 13 o filme 2012, que conta a saga da humanidade ao enfrentar o fim do mundo. Pode ser que não passe de uma “dissonância cognitiva” das pessoas, aquele mesmo sentimento do fumante que sabe que o cigarro causa câncer, mas continua fumando. Entretanto, se as coisas piorarem, vamos para Espanha?

Xixi no banho





Não é de hoje que existe uma preocupação global com a questão do meio ambiente. Todos já estamos cansados de acompanhar os inúmeros movimentos criados para defender a saúde de nosso planeta. Entretanto, nenhum chamou mais atenção nos últimos dias do que a campanha “faça xixi no banho” da ONG SOS Mata Atlântica. Não fique com nojo ou comece a rir, o tema é sério e merece reflexão. Se você faz xixi no banho. Ótimo. Se não faz, está na hora de começar a fazer, eis que não existe nada de nojento, é exatamente ao contrário do que todo mundo pensa. Segundo a ONG o xixi é composto de 95 % de água, sendo que os outros 5% são compostos de substâncias como uréia e sal, que água do banho facilmente levará embora. Além disso, não se pega nenhuma doença do xixi feito. Ainda, segundo os mais antigos até é bom para frieira.Apenas uma observação importante, lembre-se de fazer o xixi no começo do banho, caso contrário haverá apenas um cheirinho desagradável, algo logo passa. No mais, só existem vantagens ao fazer o xixi no banho.A principal delas é a economia de água potável, que segundo especialistas em um futuro não muito distante estará muito escassa. Sendo assim, fazendo o “xixizão” no banho estamos economizando no mínimo uma descarga (12 litros) por dia. Em um único ano poderemos economizar 4.388 litros de água potável e, toda essa água pode ser útil para seus netos, não esqueça disso. Então, está mais do que na hora, se engaje nessa campanha, não tenha constrangimento e faça o xixi no banho.

Genuinamente santiaguense





Em 2008 a comunidade regional soube da situação financeira calamitosa da Cooperativa Tritícola. Agora, o que a maioria não sabe é que ela ainda está vivendo os piores momentos de sua história. Eis que a deixaram muito endividada e sem crédito. Isso causou atrasos nos pagamentos de toda ordem: funcionários, INSS, ICMS, produtores, prestadores de serviço, fornecedores, financiamentos etc, fazendo com que seu patrimônio fosse penhorado ou restasse com algum tipo de gravame. Dramático. Diante desse trágico contexto, apenas em março de 2009, assumiu a nova administração da Tritícola, que representa o último fio de esperança de sobrevivência de nossa Cooperativa, bem como de seu restabelecimento, para o pagamento de todos os credores. Do contrário, as portas já estariam fechadas. Em pouco tempo, a nova administração colocou a folha em dia, pagou mais de 300 produtores, reestruturou os mercados, veterinárias e o posto de combustível, enxugou custos desnecessários, implementou cobrança efetiva dos devedores, está realizando auditorias e pagou parte das dívidas, como forma de subsistência, pois se perderem o capital de giro, não há mais pelo que lutar. Parabéns ao Ruderson Mesquita, Evaristo e Baccin, que tiveram a coragem de enfrentar esse desafio. Então, como santiaguense, faço um apelo para que nossa comunidade colabore com a Cooperativa, comprando nos mercados, veterinárias e posto de combustível. Se cada um ajudar, juntos conseguiremos recuperar algo que é muito importante para nossa gente e é genuinamente santiaguense.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Recurso Cível Nº 71001948348, Terceira Turma Recursal Cível, Turmas Recursais, Relator: Eugênio Facchini Neto, Julgado em 28/05/2009)

AVISO A TODOS OS BLOGS QUE PERMITEM COMENTÁRIOS ANONIMOS.

A BRINCADEIRA PODE SAIR CARO.

(Já foram condenados a pagar R$ 1.000,00 (mil reais)

VEJAM ESSA DECISÃO


DANOS MORAIS. OFENSAS PUBLICADAS EM BLOG DE JORNALISTA. RESPONSABILIDADE PESSOAL DO JORNALISTA RESPONSÁVEL PELO BLOG, AINDA QUE ALGUMAS DAS OFENSAS TENHAM SIDO VEICULADAS COMO PROVENIENTES DE LEITOR ANÔNIMO. LIBERDADE DE CRÍTICA E DE MANIFESTAÇÃO DE OPINIÃO QUE NÃO DEVE DISPENSAR O USO DE LINGUAGEM ADEQUADA E DE EDUCAÇÃO. CRÍTICAS CONTUNDENTES PODEM SER FEITAS DE FORMA CIVILIZADA. IRONIA NÃO SE CONFUNDE COM DESNECESSÁRIO DEBOCHE. RECURSO PARCIALMENTE PROVIDO APENAS PARA MINORAR O VALOR DA INDENIZAÇÃO. A liberdade de opinião e de crítica, especialmente quando se refere a situações que envolvem interesse público, é um esteio da democracia. Interessa aos cidadãos, que, com seus impostos, custeiam toda a máquina pública, que eventuais irregularidades sejam identificadas e trazidas à luz do sol. Todavia, é perfeitamente possível combinar a liberdade de expressão com urbanidade e civilidade, evitando-se expressões que desnecessariamente denigram a personalidade da pessoa atingida, ferindo-lhe a dignidade. Ainda que eventualmente imbuído de espírito cívico, ao alertar para eventual prática de nepotismo, a denúncia pode ser eficaz, sem ter de resvalar para o leito do ataque miúdo que acaba por comprometer o próprio status da denúncia em si. Recurso Inominado Terceira Turma Recursal Cível Nº 71001948348. Comarca de Pelotas. RUBENS AMADOR FILHO RECORRENTE, GEANE BEATRIZ BARZ MATIELLOR RECORRIDO ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos os autos. Acordam os Juízes de Direito integrantes da Terceira Turma Recursal Cível dos Juizados Especiais Cíveis do Estado do Rio Grande do Sul, à unanimidade, em DAR PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO. Participaram do julgamento, além do signatário (Presidente), os eminentes Senhores Dr. Eduardo Kraemer e Dr. João Pedro Cavalli Júnior. Porto Alegre, 28 de maio de 2009. DR. EUGÊNIO FACCHINI NETO, Relator. RELATÓRI. OTrata-se de ação de reparação de danos morais. Alega a autora ser jornalista nomeada pelo Presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Pelotas para coordenar a TV Câmara e a página na Internet da Câmara Municipal. O requerido, por sua vez, é o responsável por um blog denominado “Amigos de Pelotas”, onde vem sistematicamente proferindo ataques levianos e sistemáticos à honra da autora, com acusações graves, de natureza pessoal e profissional. Pretende, então, a reparação dos danos morais sofridos. O réu contesta, alegando ser parte ilegítima passiva, pois a responsabilidade seria do Blog Amigos de Pelotas, embora seja ele o “jornalista responsável e idealizador do mesmo”. No mérito, pede a improcedência da ação, pois as notícias que foram veiculadas são verdadeiras e de interesse público, já que a autora é filha de um vereador e foi contratada para tal cargo em razão de tal relação. Trata-se de caso de nepotismo que deve ser apontado e criticado. Tece considerações sobre a atuação da autora e defende o interesse público e a ausência de interesse pessoal do réu na divulgação dos fatos. Após instrução do feito, sobreveio sentença de procedência da ação, condenando-se o réu ao pagamento do valor de R$5.000,00 a título de danos morais. Recorre o réu, pedindo a improcedência da ação ou, no mínimo, a redução do seu valor. VOTOS. Dr. Eugênio Facchini Neto (RELATOR). Quanto à responsabilização em si, do requerido, deve ser mantida a sentença recorrida por seus próprios fundamentos, nos termos do art. 46, parte final, da Lei 9.099/95, uma vez que bem analisou as provas produzidas e corretamente aplicou o direito incidente. De fato, a liberdade de opinião e de crítica, especialmente quando se refere a situações que envolvem interesse público, é um esteio da democracia. Interessa aos cidadãos, que, com seus impostos, custeiam toda a máquina pública, que eventuais irregularidades sejam identificadas e trazidas à luz do sol. Como referiu Louis Brandeis, importante juiz da Suprema Corte norte-americana, na primeira metade do século XX, “dizem que a luz do sol é o melhor desinfetante que existe”. Ele tinha razão, pois efetivamente somente quando os fatos vêm à luz do sol é que há possibilidade de correção de erros e práticas administrativas incorretas e criticáveis. Essa é uma das mais importantes funções da imprensa livre e a maior contribuição que ela pode dar à democracia. No caso em tela, aparentemente a situação da autora efetivamente se enquadra na noção de nepotismo, vedada expressamente pela Súmula vinculante n. 13 do STF, sendo importante a denúncia desse aparente desmando ocorrido na Câmara de Vereadores de Pelotas. Infelizmente, nesse país de recente cultura democrática, alguns homens públicos tendem a manter a velha concepção lusitana de patrimonialismo, conduzindo os negócios públicos como se estivessem gerindo patrimônio pessoal. Se qualquer cidadão, enquanto tal, pode empregar quem quer que seja, parente ou não, competente ou não, qualificado ou não, sem dar satisfação a quem quer que seja, quando ele administra a coisa pública, outra é a ótica e outra é a ética imperante, pela simples razão de que não é ele quem paga a conta, mas sim o contribuinte, com o suado imposto que todos devem pagar. A referida súmula vinculante n. 13 buscou estabelecer critérios para neutralizar uma das muitas práticas perniciosas espalhadas pela nação e por todos os poderes públicos. Todavia, ainda que isso tudo seja criticável, e, portanto, saudável a denúncia de persistentes casos de nepotismo, é perfeitamente possível combinar a liberdade de expressão com urbanidade e civilidade na denúncia, evitando-se expressões que desnecessariamente denigram a personalidade da pessoa atingida, ferindo-lhe a dignidade. Ainda que eventualmente imbuído de espírito cívico, ao alertar para eventual prática de nepotismo, a denúncia pode ser eficaz, sem ter de resvalar para o leito do ataque miúdo que acaba por comprometer o próprio status da denúncia em si. Foi o que ocorreu no caso em tela, pois várias das expressões que aparecem no site gerido pelo requerido (e, obviamente, por não ter o mesmo personalidade jurídica, eventual responsabilidade recai sobre o jornalista responsável pelo site, inclusive pela divulgação de mensagens anônimas) são desnecessariamente agressivas, como a afirmação de incompetente, com realce, além das várias outras expressões que foram destacadas na inicial – e não impugnadas pelo requerido. Ou seja, teria sido perfeitamente possível realçar o fato do nepotismo, criticando-o, sem resvalar para acusações pessoais, como colocar em dúvida a qualificação profissional da autora, colocando entre aspas a expressão “jornalista”, referindo que “expõe diariamente falhas graves no exercício do seu ofício’ (fl. 10), sem se dar ao trabalho de, objetivamente, indicar os fatos que autorizariam tal conclusão. Na mesma página o réu colocou em caixa alta a expressão “INCOMPETENTES”, referindo que “o inferno e a vagabundagem, aliada à impunidade, são produtos locais” (fl. 10). Quanto a outros aspectos sobre os quais se irresigna a autora, talvez não proceda sua indignação, pois o réu, quanto aos mesmos, explica a que se refere – alegada ausência, no noticiário da Câmara, de notícias de interesse público (criação de cargos emergenciais), destaque maior a atividades políticas de seu pai, etc. Assim, é de se manter a sentença quanto à condenação em si, mas com redução do valor da indenização. Para a redução leva-se em conta que o fundo das notícias tem color de verdade e são providos de interesse público, parte delas foi exposta de forma objetiva, e também o fato de que não se trata de notícias publicadas em jornal, mas em simples blog, de acesso limitadíssimo, como se intui. Além disso, o réu comprovou sua condição econômica mais modesta, sem condições de enfrentar o montante da condenação. Por tudo isso, entendo que o valor de R$1.000,00 está adequado às peculiaridades e circunstâncias do caso. VOTO, pois, por DAR PARCIAL PROVIMENTO AO RECURSO, para o efeito de reduzir a condenação do réu para o montante de R$1.000,00 (um mil reais), mantidos os consectários da sentença. Sem ônus sucumbenciais, ante o resultado do julgamento. Dr. Eduardo Kraemer - De acordo. Dr. João Pedro Cavalli Júnior - De acordo. (Recurso Cível Nº 71001948348, Terceira Turma Recursal Cível, Turmas Recursais, Relator: Eugênio Facchini Neto, Julgado em 28/05/2009)

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Quem avisa, amigo é.




Fantástico. Surreal. Pela primeira vez na vida alguém tem a coragem de falar a realidade e a verdade sobre o MST no Brasil. Falo do procurador de justiça do Ministério Público gaúcho Gilberto Thums. Afirma o nobre procurador que um movimento que mata, queima, sabota, invade, depreda prédios públicos, utiliza táticas de guerrilha, atira lanças com fezes humanas e etc., não está de acordo com o Estado Democrático de Direito e que isso merece repressão. Certíssimo.O procurador também afirma que não é contrário a movimentos sociais, muito menos contra a causa nobre do movimento dos sem-terra, apenas questiona a forma criminosa com que o movimento realiza ações para tentar concretizar seus objetivos, ou seja, os métodos utilizados são totalmente impróprios e contrários à lei, uma vez que se utilizam armas e violência. Corretíssimo.Então, não há motivos plausíveis para estarem sujando a imagem do procurador e do MP gaúcho no Brasil inteiro. O ilustre promotor está correto em seu pensamento. Mais do que isso, está respaldado pelo art. 127 da Constituição Federal que incumbe aos promotores à defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis.Portanto, faço minhas as palavras do procurador e digo: está na hora da sociedade em geral, entidades de classe, universidades, formadores de opinião, imprensa, ongs e governo trocarem o foco de sua visão distorcida sobre essa organização paramilitar criminosa e levantar a bandeira de Thums. Ainda mais com a saída do Lula do poder. Quem avisa, amigo é.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Pizza ou samba




Para quem, mesmo que de muito longe, observa o cotidiano político do Brasil atualmente, não pode deixar fora de sua agenda semanal de debates, a aprovação da Emenda Constitucional nº. 58, que aumenta em quase 8.000 o número de vereadores nas Câmaras Municipais do país afora, inclusive, da nossa província.
O bom dos órgãos públicos, igualmente da Câmara Municipal, que tudo que ela pode ou não fazer está descrito em lei e, nesse caso, na lei das leis, Constituição Federal. A emenda aprovada é um fiasco total, não só em técnica legislativa, como também em constitucionalidade, inserindo um artigo na Carta da República que afirma que as regras aprovadas terão efeito já no processo eleitoral de 2008, ou seja, os suplentes devem assumir imediatamente, mundo o resultado da eleição passada.
Alô? Alguém me ouviu? Isso mesmo. Os vereadores que estiverem com seu diploma de suplente na mão, segundo essa emenda, já devem e podem reivindicar sua cadeira no Parlamento Municipal. A cidade de Santiago, por exemplo, ficaria com 13 vereadores, eis que se enquadra entre os Municípios com mais de 30.000 (trinta mil) habitantes e de até 50.000. Esse é apenas um dos 24 limites de vereadores incluídos no inciso IV do artigo 29 da Constituição. È coisa pra louco entender.
Ta certo que esse tema vai ser alvo de discussões jurídicas e doutrinárias intermináveis entre os que defendem a posse imediata e os que não defendem. A CF agora diz que pode, o TSE já disse que não pode, eis que teria estipulado o prazo fatal para a aprovação até 30 junho do ano passado, último prazo para as convenções partidárias. O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, já protocolou uma ação no STF questionando a emenda. Em Goiás já tomaram posse. Tudo isso vai dar em pizza ou samba.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Bobos somos nós.




Não é de hoje que sabemos que maior Corte Judiciária do país, o STF (Supremo Tribunal Federal) é um Tribunal composto por brasileiros de notável saber jurídico, indicados pelo presidente da república. Apenas para registrar, Lula, no decorrer de seus dois mandatos, nomeou 07 dos 11 ministros que atualmente compõem o Supremo.
Tragicamente, em 1º de setembro, um dos ministros, também indicado por Lula, Carlos Alberto Direito, veio a falecer, abrindo sua vaga na última e mais importante instância do Poder Judiciário do Brasil.
Nosso presidente, já fez a escolha da pessoa que irá ocupar essa tão importante cadeira, José Antonio Dias Toffoli, atual Advogado-Geral da União. Até ai tudo bem. Acontece que o mundo jurídico e político levam essa indicação como um processo formal, apenas para cumprir tabela, eis que as pessoas indicadas geralmente têm vasto currículo e conduta exemplar (ilibada), aliás, outro requisito para assunção do cargo.
Entretanto, essa indicação do presidente Lula, ainda dará muito que falar, tendo em vista que seu escolhido não tem um currículo exemplar, sequer tem mestrado e, ainda por cima, já foi veiculada matéria na revista VEJA que ele teria sido condenado em primeiro grau a devolver 700 mil reais – que teriam sido recebidos “indevidamente e imoralmente” por contratos “absolutamente ilegais” entre seu escritório e o governo do Amapá. Dessa decisão ainda cabe recurso.
Ademais, a maior marca positiva de seu currículo é ter sido advogado do PT nacional. Resta para nós, saber qual vai ser o destino de Toffoli, eis que até hoje nunca o Senado Federal rejeitou uma indicação presidencial na “sabatina” que realiza com o indicado a vaga. Não se surpreendam, penso que o réu vira ministro. Preocupado com isso? Bobos somos nós.

Filha do Lula


Ta lido o bilhete, como diz o velho e bom gaudério. Dilma Rousseff não vence as eleições presidências em 2010. Do mesmo jeito que a nossa governadora não será reeleita aqui, isso sem mencionar que seu último brilho foi ao fingir que não se queimou/assustou ascendendo à chama crioula. Ademais, já sabemos que a briga aqui no Estado ficará entre os candidatos do PT e PMDB, devido a enorme crise aberta pela oposição nos últimos dias. De mais a mais, isso é assunto para o mês que vem.
O que restou mesmo em evidência nessa semana foi a pesquisa realizada pelo Ibope que demonstra (hoje) a larga vantagem de José Serra sobre Dilma. Se o segundo turno da eleição fosse hoje, teríamos uma vantagem inacreditável de 42 pontos percentuais, mais especificamente 71 a 29, diferença esta nunca alcançada em uma eleição real.
Claro que, falar hipoteticamente, analisando números, prever resultados é fácil demais. Todavia, a história nos ensina que em política não se deve ser amador, devemos sempre analisar os dados científicos, quanto mais, de um Instituto como o Ibope.
Apenas para se ter uma idéia de como a coisa é séria, na simulação do primeiro turno, Dilma também fica atrás de Ciro Gomes. Inimaginável. Entretanto, ai está à prova, para todos os navegantes que pensam que é fácil transferir votos. Não é.
Se a eleição fosse hoje, não tenho dúvidas que Lula seria nosso presidente mais uma vez. Agora analisem a situação de sua candidata. Deplorável. Nem mesmo o título de mãe do PAC ou dos BOLSAS ou dos VALES, são capazes de torná-la competitiva eleitoralmente. Carisma não é transferível. Lógico que Luis Inácio não vai deixar assim. Parafraseando o presidente do Ibope, penso que vamos ter mais uma filha do Lula.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Poucas vergonhas.



Democracia: governo do povo; soberania popular. Doutrina ou regime político baseado na distribuição equitativa do poder. República: forma de governo em que um ou vários indivíduos eleitos pelo povo exercem o poder supremo por tempo determinado. Presidencialismo: regime político em que o chefe do governo é o presidente da República, mantendo-se a independência e a harmonia do executivo, do legislativo e do judiciário.
Conceitos bonitos no papel. Em tese, tudo funciona bem. Pena a realidade ser chocante e vergonhosa, para qualquer cidadão que olha um pouco além do horizonte. Não é difícil perceber que essa roda não gira como deveria. Qualquer um sabe que o poder não emana do povo, mais sim de um “povo” dominante, que financia campanhas eleitorais e o próprio Diabo.
Também, de fácil constatação, é o fato de que não existe uma harmonia e independência entre os três poderes, basta ver o pé de guerra travado entre o Governo Federal, Senado e STF, para dizer o mínimo, mas isso são freios e contra pesos, não é mesmo? A única coisa que parece estar certa é o fato de que o presidente e vários indivíduos eleitos exercem o poder supremo. Isso é verdade, basta visitar Brasília.
Depois quando falam que o voto é uma arma, ninguém entende. Não precisamos de um caçador de marajás, todos nós temos uma arma fatal, o problema é saber usar. Agora o pior. Todos que no passado sabiam, pelo menos, construir grupos organizados de resistência à corrupção e desigualdade, hoje estão girando juntos nessa enorme roda descontrolada. Não da para admirar a maioria das atitudes do MST, da UNE, centrais sindicais, sem teto, e etc, mas respeitávamos sua corarem de se insurgir contra a corrupção e desigualdades. Hoje, nem isso acontece, pois se tem que pagar, com o nosso dinheiro e de investidores internacionais, para laranjas participarem de protestos, invadirem fazendas e ao mesmo tempo se calarem diante de tantas poucas vergonhas

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Perto de Deus




Não aprecio ficar compartilhando leituras na coluna. Mas ao ler o livro Pra começo de conversa – Crônicas santa-marienses, escrito por Tânia Lopes, Orlando Fonseca, Athos Ronaldo Miralha da Cunha e Antônio Cândido de Azambuja Ribeiro, não tenho como não compartilhar um fragmento de um conto de Tânia, chamado De picolés e sorvetes, para reflexão de todos nós.“Vendo, na TV, essa história contada novamente, lembrei de outra que ouvi de uma amiga que, conta histórias alegres e tristes, enquanto embeleza suas freguesas. Suas memórias juntam-se com dolorosos fatos vividos...Ela contou que, uma vez, num dos tantos dias que andava de um lado para outro em busca da cura de um mal grave em seu filho, ao sair dum laboratório onde fora retirar exames preparatórios para a cirurgia do menino, passaram por uma criança comendo um sorvete daqueles em que se equilibram três bolas coloridas. O menino seguiu-os com os olhos desejosos e falou:-Mãe, me da um sorvete!Ela olhou o único dinheiro que tinha, fez as contas de cabeça e viu que não dava. Precisava pagar duas passagens de ônibus para voltar para casa, que era bem longe. Com a voz embargada, ela falou:_Aí eu perguntei para ele: - Serve um picolé? – Ele fez que sim com a cabeça e eu comprei. Ele foi chupando como se dele pudesse tirar um pouco mais da vida que lhe fugia, pelo coração fraquinho. Isso foi poucos dias antes dele morrer na cirurgia...E completou a mãe saudosa e dolorida pela lembrança:-Ainda lembro que não tive dinheiro pra lhe comprar sorvete...São dores que marcam a ferro e fogo, mas que, de alguma maneira, fazem a alma chegar mais perto de Deus”.

Realidade antiga




A família é uma das instituições mais antigas do planeta. Pode-se afirmar que sua constituição e comportamento é igualmente antigo e conservador. Mas nos últimos anos, a entidade família esteve e está passando por uma transformação. Hoje, no século XXI, não existe mais só aquela família tradicional, constituída por um pai (sexo masculino) e uma mãe (sexo feminino), casados, vivendo no mesmo lar, com seus filhos biológicos, sendo o pai, provedor econômico e a mãe encarregada dos cuidados domésticos. Existe também a família constituída por homossexuais, pais separados, etc. Essa é nossa realidade.A família é constituída pela afetividade, unida por laços mais amplos de liberdade, consolidadas na colaboração, na igualdade, no afeto, no humanismo e na solidariedade, sem a hierarquia ou os rigores de gênero, sendo que nosso sistema jurídico, bem como a jurisprudência do país avançam, aos poucos, para abarcar essa nova família no direito brasileiro, eis que nossas leis estão anos luz atrasadas em regulamentar essas novas formas de agrupamento, fazendo com que, muitas vezes, essas pessoas ligadas por laços de ternura vivam na clandestinidade social. Depreende-se da analise da Constituição de 1988, que o reconhecimento da união estável, da formação da entidade familiar por qualquer um dos pais ou seus descendentes, estão presentes na Carta da República, além de trazer a igualdade do homem e da mulher, superando a família tradicional e a ideia da submissão feminina presente até pouco tempo. Mas nem mesmo nossa Lex Master admite a família homossexual. Está na hora dos legisladores abrirem os olhos para essa realidade antiga.

Estelionato da fé




Estelionato da fé
A cada dia parece que afundamos em corrupção. Sempre foi assim, desde o início da República do Pau-Brasil, mas agora em tempo de caçar bruxas, o esgoto corre a céu aberto, graças à Polícia Federal e à mídia. Bom sinal, eis que o grande público consegue ter acesso em tempo real ao que acontece no Senado Federal, por exemplo. Não é mais só ver a novela das 8 que começa às 9h. Temos que analisar que a ética, moral, decência e justiça não fazem parte do cardápio daqueles comedores de pizza da maior Casa de Leis do país, que dormem inimigos e acordam amigos. Agora perfumaria. O pior de tudo é a volta da venda no lugar no céu. Não é de hoje que muitas igrejas falsas se aproveitam da fé das pessoas para ganhar dinheiro ou vantagens. Não é por acaso que sempre estão localizadas em lugares nobres e estão cheias de gente. Todos querem comprar o diploma outorgado por Deus ou ter seu lote celestial. A fé é medida por doações. Prova disso, tivemos com a explosão do escândalo envolvendo importante igreja do cenário nacional, que parece ter se aproveitado dos benefícios fiscais que Constituição Federal concedeu para montar um esquema mirabolante, envolvendo empresas no exterior para lavar em 05 países mais de R$ 300 milhões que foram recebidos dos fiéis, inclusive, comprando redes de comunicação. O que fica para nós, que ainda não compramos nosso passe para o céu, é a sensação de que somos pecadores ou estamos tomados por algum espírito do mau ao falar disso, pois não pagamos e tão pouco pegamos no copo com água às 6 da tarde, apenas temos o discernimento de separar o joio do trigo e constatar esse estelionato da fé.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

A farra continua...





Não é de hoje que vivenciamos diuturnamente a violência urbana. Também não é de agora que viramos prisioneiros em nossas próprias residências. Muito menos começou neste momento o sentimento de impunidade que permeia os criminosos no país. Estudos já comprovaram que vem daí a principal causa do aumento da criminalidade.
Não bastassem esses problemas de ordem maior, cada dia que passa a marginalia fica mais destemida e inteligente, capaz de constatar fatos que antes não davam atenção. Constataram os “nobres” e organizados meliantes que os assaltos e arrombamentos nos grandes centros urbanos são fortemente reprimidos pelas forças policias e a própria população.
Conseqüência dessa constatação lógica é a migração da violência capital para os pequenos municípios do interior, na maioria das vezes, com menos de 10 mil habitantes.
Isso porque, nesses municípios, como todos que moram ou transitam no interior sabem, as forças policiais são numericamente diminutas e operam na precariedade, sem um bom armamento, coletes, viaturas, treinamentos, estrutura, pessoal e etc. Isso para dizer o mínimo.
É muito mais fácil para os criminosos tomar literalmente uma pequena cidade interiorana do que atacar uma única agência bancaria na capital, motivo pelo qual, até o mês passado foram 24 ataques a esses pequenos municípios.
Diante deste quadro, é chegada à hora da Secretaria de Segurança do Estado também inverter seu foco de atuação, mandando para o interior boas viaturas, não carrinhos, bom armamento, não revolvinho, e principalmente um bom efetivo e equipamentos adequados. Qual a diferença da sua casa para casa da governadora? Se nada mudar, a farra continua

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Será que estivemos lá?


Aos 20 dias do mês de julho do ano de 1969, quarenta anos atrás, algo em torno de 1 bilhão de pessoas assistiram na televisão o homem chegar a Lua. Estudamos até hoje nos bancos escolares a famosa frase “Este é um pequeno passo para o homem, mas um grande salto para a humanidade”. Será?
Em função desse aniversário completado, comparando até com a crise dos quarentas dos homens, cresceu a quantidade de pessoas que não acredita que o homem chegou a pisar em solo lunar, encarando toda façanha como a fraude do século. O motivo de tudo isso? A mola do universo, dinheiro.
Logo após essa concretização dessa gigantesca obra, os Estados Unidos receberam os maiores investimentos internacionais, eis que todos queriam investir no país que virava a maior potencia mundial, como de fato é até os dias atuais.
Todo esse escândalo que aponta indícios claros de que o homem não esteve na Lua começou em 2001 quando a Fox Television fez um programa com o nome "FOX Special - Conspiracy Theory: DID WE LAND ON THE MOON?" (Especial FOX - Teoria da Conspiração: NÓS POUSAMOS NA LUA?).
De lá para cá o movimento só cresce, inclusive com um brasileiro, André Basílio, que conseguiu ir mais longe nas investigações que apontam que definitivamente não estivemos ali na Lua.
São muitos os indícios que levam a essa conclusão. Dentre os principais elementos estão: Fotos com diferentes tamanhos da Terra, ausência de estrelas no fundo das fotos, bandeira dos Estados Unidos tremulando na superfície lunar, sendo que não existem filmes fotográficos que resistam à enorme variação térmica existente na Lua (-153ºC a +107ºC), isso sem falar que a NASA, pensando na segurança, só pretende mandar o homem a Lua daqui a 10 anos. Então, será que estivemos lá?

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Lya Luft A sordidez humana



"Que lado nosso é esse, feliz diante da desgraçaalheia? Quem é esse em nós, que ri quandoo outro cai na calçada?"


Ando refletindo sobre nossa capacidade para o mal, a sordidez, a humilhação do outro. A tendência para a morte, não para a vida. Para a destruição, não para a criação. Para a mediocridade confortável, não para a audácia e o fervor que podem ser produtivos. Para a violência demente, não para a conciliação e a humanidade. E vi que isso daria livros e mais livros: se um santo filósofo disse que o ser humano é um anjo montado num porco, eu diria que o porco é desproporcionalmente grande para tal anjo.
Que lado nosso é esse, feliz diante da desgraça alheia? Quem é esse em nós (eu não consigo fazer isso, mas nem por essa razão sou santa), que ri quando o outro cai na calçada? Quem é esse que aguarda a gafe alheia para se divertir? Ou se o outro é traído pela pessoa amada ainda aumenta o conto, exagera, e espalha isso aos quatro ventos – talvez correndo para consolar falsamente o atingido?
Ilustração Atômica Studio
O que é essa coisa em nós, que dá mais ouvidos ao comentário maligno do que ao elogio, que sofre com o sucesso alheio e corre para cortar a cabeça de qualquer um, sobretudo próximo, que se destacar um pouco que seja da mediocridade geral? Quem é essa criatura em nós que não tem partido nem conhece lealdade, que ri dos honrados, debocha dos fiéis, mente e inventa para manchar a honra de alguém que está trabalhando pelo bem? Desgostamos tanto do outro que não lhe admitimos a alegria, algum tipo de sucesso ou reconhecimento? Quantas vezes ouvimos comentários como: "Ah, sim, ele tem uma mulher carinhosa, mas eu já soube que ele continua muito galinha". Ou: "Ela conseguiu um bom emprego, deve estar saindo com o chefe ou um assessor dele". Mais ainda: "O filho deles passou de primeira no vestibular, mas parece que...". Outras pérolas: "Ela é bem bonita, mas quanto preenchimento, Botox e quanta lipo...".
Detestamos o bem do outro. O porco em nós exulta e sufoca o anjo, quando conseguimos despertar sobre alguém suspeitas e desconfianças, lançar alguma calúnia ou requentar calúnias que já estavam esquecidas: mas como pode o outro se dar bem, ver seu trabalho reconhecido, ter admiração e aplauso, quando nos refocilamos na nossa nulidade? Nada disso! Queremos provocar sangue, cheirar fezes, causar medo, queremos a fogueira.
Não todos nem sempre. Mas que em nós espreita esse monstro inimaginável e poderoso, ou simplesmente medíocre e covarde, como é a maioria de nós, ah!, espreita. Afia as unhas, palita os dentes, sacode o comprido rabo, ajeita os chifres, lustra os cascos e, quando pode, dá seu bote. Ainda que seja um comentário aparentemente simples e inócuo, uma pequena lembrança pérfida, como dizer "Ah! sim, ele é um médico brilhante, um advogado competente, um político honrado, uma empresária capaz, uma boa mulher, mas eu soube que...", e aí se lança o malcheiroso petardo.
Isso vai bem mais longe do que calúnias e maledicências. Reside e se manifesta explicitamente no assassino que se imola para matar dezenas de inocentes num templo, incluindo entre as vítimas mulheres e crianças... e se dirá que é por idealismo, pela fé, porque seu Deus quis assim, porque terá em compensação o paraíso para si e seus descendentes. É o que acontece tanto no ladrão de tênis quanto no violador de meninas, e no rapaz drogado (ou não) que, para roubar 20 reais ou um celular, mata uma jovem grávida ou um estudante mal saído da adolescência, liquida a pauladas um casal de velhinhos, invade casas e extermina famílias inteiras que dormem.
A sordidez e a morte cochilam em nós, e nem todos conseguem domesticar isso. Ninguém me diga que o criminoso agiu apenas movido pelas circunstâncias, de resto é uma boa pessoa. Ninguém me diga que o caluniador é um bom pai, um filho amoroso, um profissional honesto, e apenas exala seu mortal veneno porque busca a verdade. Ninguém me diga que somos bonzinhos, e só por acaso lançamos o tiro fatal, feito de aço ou expresso em palavras. Ele nasce desse traço de perversão e sordidez que anima o porco, violento ou covarde, e faz chorar o anjo dentro de nós.

E agora?


No vapor da plena modernidade do século XXI, já podemos concluir que já não falta quase nada a ser inventado. Como diz um ditado muito antigo que ensina: “depois que inventaram a máquina de debulhar milho, já não se duvida mais de nada!”. É bom levar fé no dito popular. Pois não é que foi divulgado que um grupo de cientistas capitaneados por um biólogo iraniano Karim Nayermia, conseguiram criar em laboratório a partir de células-tronco esperma humano. Penso não faltar mais nada! Vejamos a que ponto chegou à ciência humana. Hoje tranquilamente se pode afirmar que o homem pode brincar de ser Deus. O que é um verdadeiro perigo. Muitos já diziam isso quando a clonagem de seres vivos deu certo com a ovelha Dolly em 1997 ou e recentemente com a gata Cc. Daqui alguns anos estaremos gerando o que? Outros humanos? Essa ideia também não é nova e parece que já esta sendo praticada em águas internacionais dentro de algum iate de um cientista maluco. Brincadeiras a parte, esse assunto merece uma reflexão de maiores proporções, eis que o esperma fabricado é idêntico ao que o organismo produz naturalmente, ou seja, é capaz de gerar uma vida se usado para fecundar um óvulo. Verdadeiro sonho de consumo das feministas modernas. Acontece que tal criação gera problemas e questões éticas muito profundas que ultrapassam qualquer movimento social, visto que diferentemente da clonagem onde a chance de dar certo é de apenas 3%, esse espermatozóide tem chances de quase 100% de gerar uma vida desprovida de origem genética masculina, ou seja, a criança nascerá sem pai. E agora?

terça-feira, 14 de julho de 2009

Viver para ver




Não é de hoje que a indústria farmacêutica está crescendo no Brasil. Já faz algum tempo que todos nós ficamos conhecendo o que são medicamentos éticos, genéricos e similares. Grande parte da população passou a ter acesso a tratamentos e medicamentos mais baratos e com a garantia de eficácia. Acontece que, nos próximos dois anos (2010 e 2011) a indústria brasileira de medicamentos genéricos vai ter um crescimento gigantesco, algo em torno de quase 50%. Falo do vencimento das patentes (23 ao todo) de importantes medicamentos que, hoje só podem ser vendidos pelos laboratórios que as registraram. A conseqüência disso é monopólio e altos preços. Com tal vencimento qualquer laboratório legalmente habilitado poderá fabricar esses medicamentos, quebrando a hege-monia de grandes laboratórios, estimulando a concorrência no mercado. Quem ganhará serão os pacientes. Nesta lista, por exemplo, está o Viagra e o Lípitor, que estão entre os remédios mais vendidos no país, que só no ano passado faturaram metade de todos os genéricos juntos, algo em torno de 1,5 bilhões de reais. Só com esses dois gigantes já se pode ter uma idéia de como os genéricos irão crescer em 2010. Vai ser uma verdadeira guerra entre os laboratórios para ver quem vai conseguir chegar primeiro nas farmácias com o Viagra, por exemplo. Isso vem a somar diretamente com aquele famoso projeto de lei que queria dar Viagra aos idosos que necessitam. Com essa liberação de patentes, independentemente do projeto virar ou não lei teremos a partir de 2010, mais dignidade da pessoa humana. Viver para ver.

Evolução do Brasil




A nossa ordem jurídica brasileira é integrada por um complexo sistema normativo que conjuga, ao lado de instrumentos jurídicos contemporâneos e modernos (como a Constituição de 1988, Código de Defesa do Consumidor, Lei Eleitoral e etc), diplomas legais editados no início do Século (como o Código Penal (1940), por exemplo). Em face desse complexo universo de normas, velhas e novas, futuristas ou retrógradas, revelam-se tensões e conflitos valorativos dentro do emaranhado do direito brasileiro, sendo o Poder Judiciário o órgão que a todo o tempo realiza suas escolhas jurídico-políticas, a fim de aplicar o direito na sociedade. Para fazer uma analogia, vamos pegar a condição jurídica da mulher, cuja tensão valorativa atinge grau relevante. Se de um lado existe a Constituição brasileira, a Lei Maria da Penha e os tratados internacionais de proteção aos direitos da mulher, de outro existem diplomas ilegais e legais que adotam uma perspectiva de que o homem é o centro da terra. Tal afirmativa é de simples constatação, eis que o filho pode tudo a filha, nada. No mesmo sentido, o Código Penal ainda considera estupro um crime contra os costumes e não contra a pessoa, mais do que isso, até 2003 existia o pátrio poder, a chefia do poder conjugal e o privilégio da anulação do casamento pelo homem quando a mulher não fosse mais virgem. Verdadeiro absurdo. Ainda bem que os tempos estão mudando em relação à mulher. Do mesmo jeito que estão mudando em relação aos políticos. Hoje se um homem bate na mulher, vai preso. Hoje se um candidato usa caixa 2 é cassado. É sinal que o Brasil está evoluindo também pela força do Judiciário. Parabéns aos magistrados que estão ajudando na evolução do Brasil.

terça-feira, 30 de junho de 2009

Transparência já!


Lamentável saber que o primeiro exemplo de transparência total da máquina pública no país, foi rapidamente amputado. Falo da tentativa de abertura do Portal da Transparência de São Paulo, que mostrava onde era gasto o dinheiro público, dando efetividade ao princípio da publicidade. Está certo que, em contrapartida, não se pode violar a garantia constitucional da intimidade das pessoas, eis que lá estavam dados nominais da Folha de Pagamento do município. Todavia, tal imbróglio se resolveria apenas com a retirada do nome dos funcionários públicos do site, deixando os respectivos cargos e o vencimento pago.Com essa medida penso que se estará atendendo aos preceitos da Constituição Federal, não havendo motivos para tanta discussão nem embates jurídicos intermináveis nesse aparente conflito de princípios constitucionais. O que se tem que terminar é com o absurdo da obscuridade dos gastos públicos. Somente com iniciativas como essa, por exemplo, que se detecta que uma professora de música ganhou mais de dez mil reais em um único mês, não que ela não mereça. Acontece que com a fiscalização da população, tais situações, logicamente, serão questionadas e cobradas, evitando assim o mau uso do nosso dinheiro, daí o grande mérito da atitude do prefeito Gilberto Kassab, eis que não há nada melhor que a publicidade dos atos governamentais. Está na hora dos políticos honestos de todo o país copiarem a idéia de Kassab. Chega das autoridades esconderem os gastos públicos, como fez o Senado através de atos secretos e como faz o Gabinete da Presidência com a segurança nacional. Transparência já!

terça-feira, 23 de junho de 2009

União faz a força



É chegada à hora de toda a sociedade regional demonstrar sua interação com os valores que ajudam na transformação da humanidade, quais sejam, solidariedade e fraternidade. Isso mesmo, está na hora de sermos soldados na luta pela permanência da nossa Justiça do Trabalho, que poderá ir embora de Santiago. O que diria o juiz Moisés Viana- patrono da Justiça Eleitoral, que foi morto em 1936, defendendo a lisura de uma eleição ao proteger uma urna na Vila Florida- ao saber que a luta pela ética, decência e justiça social, estará mais longe dos que necessitam? Falar disso é lembrar que nossa região pondera os valores de uma sociedade mais justa, motivo pelo qual na semana passada se ergueu na Câmara de Vereadores a bandeira pela permanência aqui da Vara do Trabalho, a qual representa a solução de conflitos entre empregadores e empregados. Representa segurança jurídica para uma comunidade que tem grande inserção regional. Representa geração de renda. Como temos um povo criativo que busca a superação pelo trabalho sério no cotidiano, acreditamos que é possível construírmos realidades que semeiem a esperança da permanência da Justiça do Trabalho, quanto mais pela notícia da aprovação pela Assembléia Legislativa do projeto que transforma Santiago em entrância intermediária no organograma do Judiciário Estadual. Dessa forma, não podemos nunca dar passos para trás e, com consciência, avançar com olhos no horizonte, motivo pelo qual apelo para que cada um, ao seu jeito, lute pela permanência da Vara do Trabalho em Santiago, podendo também enviar um e-mail para ouvidoria@trt4.jus.br. A união faz a força.

sábado, 13 de junho de 2009

Atenção mulheres!






Aproveito o ensejo do dia dos namorados para analisar para vocês a psique do homem moderno. Segundo os especialistas sobre essa temática, o homem não sabe ser mais homem em pleno século XXI. Isso mesmo, nós homens estaríamos vagando sem destino entre esse vasto espaço mutante que surgiu após o século XIX.
Basicamente nós herdamos do passado dois tipos de papel na sociedade. Um é o de provedor do lar, representado pela clássica figura do bom pai de família. O outro é daquele ser aventureiro, a lá Indiana Jones, quase um mafioso ou criminoso.
Contudo, hoje esses papéis não estão mais disponíveis, principalmente pela menopausa da opressão contra mulher, ou seja, hoje a vocês já ocupam a figura de provedora do lar, bem como de aventureira, deixando o homem sem identidade.
No mercado de trabalho já disputam quase em pé de igualdade conosco, isso sem falar na orientação (não criação) dos filhos que já está quase toda em sua responsabilidade. Hoje é comum entre os relacionamentos modernos o homem dividir as tarefas do lar com as companheiras, fato este que era quase proibido no passado.
Então, a grande maioria dos homens vive entre o mercado, o bar, o trabalho e a casa, sendo que sabidamente nós nos relacionamos muito mal com essa vida cotidiana, pois vivemos como se não fosse o que deveríamos estar fazendo.
Neste sentido, o psicanalista Contardo Calligaris, Pelé nessa área do conhecimento, afirma que os homens contemporâneos precisam que as mulheres lhes deem principalmente compreensão, carinho, além de deixar seu marido comprar aquela TV enorme, realize suas fantasias sexuais, incentive-o a largar o emprego e vagar de moto por ai e trate-o sempre como super-herói. O recado ta dado. Atenção mulheres

Acontece.




Nada menos que, a noite mágica do social, ocorreu no sábado passado no clube União Santiaguense. Foram comemorados naquela oportunidade os 16 anos do Expresso Ilustrado e da coluna social Acontece, de Sandra Siqueira, uma das diretoras e também colunista do jornal. Só quem vive a ritualística do jornal sabe como é difícil escrever para mais de 11 cidades de nossa região. São municípios que possuem população e características muito próprias e, conseguir agradar a todos não é tarefa muito fácil, principalmente quando se está a evidenciar a sociedade.Entretanto, a Sandra, com sua simpatia, profissionalismo e, principalmente, olho clínico no social, conseguiu reunir todas as mulheres dessas municipalidades que brilharam nas páginas sociais do Expresso em uma belíssima festa, com uma doce e saboroso jantar aos cuidados do Buffet da Cândida.Só nos resta dar os parabéns a todas as mulheres que foram destaque nessa importante noite, como cumprimentar Sandra pela forma como conduz e escreve a coluna social mais importante da região. Lembrando que esse evento foi apenas um ensaio do que será Os Melhores do Ano, que é o Oscar da Competência regional.Então, mais uma vez, parabéns a todas as mulheres que de uma forma ou de outra engrandecem e já engrandeceram as páginas do jornal Expresso. Nos anos seguintes, espero novamente ver todas vocês na coluna que acontece.

Geração factóide





Escrevo hoje sobre algumas questões sem resposta na política santiaguense. Questões intrigantes. Vou falar sobre a posição do vereador Diniz Cogo e sintetizar suas intervenções na câmara. Numa prefeitura que se diz moderna, o factóide da existência de uma Secretaria de Gestão, não soa bem. Mas, enfim, ficamos conhecendo uma nova prática na política municipal, o invencionismo. Sem nada de direito ter sido realizado, muito menos aprovado no Parlamento Municipal, apenas com doces sonhos e ilusões, tal secretaria promove cursos, emite documentos, certificados e posiciona-se, inclusive, publicamente sem de fato existir no papel. Por esta sorte, são duas novidades que se descortinam na prática política da nova gestão Júlio Ruivo. Uma secretaria inexistente, puro factóide, e um secretário, cujo cargo não existe no Poder Executivo Municipal. Já o vereador Pelé, sustenta que Frederico Peixoto, “Secretário de Gestão”, nem precisa do emprego e que está lá para ajudar. Que ótimo! Sempre é bom contar com voluntários. Atuei como Procurador na Câmara de Santiago e conheço a ritualística de trabalho de uma Casa de Leis e vou começar a abrir isso. Pois noto que há, no mínimo, descompassos entre o que se afirma publicamente e o que existe legalmente. Não é aceitável querer apresentar modernos princípios de gestão quando nada existe no papel. Ninguém mais é bobo pra não ver desorganização, a não ser que ingressemos na geração factóide.


P.S Factóide
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Um factóide é um fato divulgado com sensacionalismo pela imprensa, este pode ser verdadeiro ou não. Trata-se também de propaganda política mal intencionada. Têm-se notícia do uso do termo já na década de 50.
O propósito de um factóide é gerar deliberadamente um impacto diante da opinião pública de forma à manipulá-la de acordo com as aspirações de poderosos grupos que se utilizam de sua influência na mídia. Estes, em alguns casos estão, ou aspiram ao poder.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Nasce uma estrela




O mundo dos alimentos no Brasil parou essa semana, mais especificamente com a notícia de que a Sadia e a Perdigão podem ser fundidas. Nasceria ai a BRF (Brasil Foods), ou Brasil Alimentos, como queiram chamar.
A nova empresa ingressará no mercado brasileiro como a décima maior no setor de alimentos das Américas, maior processadora de frangos do mundo, terceira maior exportadora brasileira, (atrás de Petrobras e da mineradora Vale) e segunda maior indústria alimentícia do Brasil. (atrás apenas do frigorífico JBS Friboi, maior produtora e exportadora mundial de carnes processadas).
Contudo, essa fusão gigante depende da autorização do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), que irá avaliar, dentro de 45 dias, a viabilidade desse grande negócio, sob o ponto de vista econômico, ou seja, se irá ou não prejudicar os consumidores, criando monopólio.
Balela. Conversa fiada. É lógico que essa fusão será aprovada por esse Conselho, eis que o governo Lula favorece esse tipo de fusão, como no caso da Votorantin e Aracruz, onde colocou dinheiro, como também colocou no Caso da OI e Brasiltelecon, indo até mais longe, pois teve que mudar a legislação para permitir a fusão. Boa pra quem?
Então, para esclarecer, a BRF irá dominar, por exemplo, 88% do mercado de massas prontas, 70% de frangos congelados, 65% de margarinas e 59% de carne refrigerada, tendo um faturamento liquido anual na faixa de 22 bilhões de reais. Vamos ficar reféns dessa multinacional brasileira, isso sem mencionar os cortes nos empregos dessas empresas. Ainda dizem que nasce uma estrela...

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Mais uma pizza




O caixa dois do caixa dois. Esse era o título da reportagem da revista Veja dessa semana, repercutindo nacionalmente, que acusou, mais uma vez, a Governadora Yeda Crusius de utilizar dinheiro “frio” na campanha que a conduziu ao Piratini.
Lembremos nós, que os primeiros indícios apontados dessa suposta prática ilícita, advieram exatamente de seu vice, Paulo Feijó, bem no início de sua gestão. Logo em seguida, Yeda teve que explicar a origem do dinheiro da compra de sua atual residência, resultando até em um pedido de impeachment (poucos sabem disso), que acabou arquivado.
Não bastassem todos esses imbróglios, em fevereiro passado, ocorreu à morte misteriosa de um de seus coordenadores eleitorais, Marcelo Cavalcante, responsável exatamente pela arrecadação de verbas de sua campanha.
Quando todos nós pensávamos que o pior tinha passado, vieram denúncias ainda mais graves contra nosso Governo. Segundo a revista Veja, Yeda teria recebido duas doações de 200.000,00 (duzentos mil reais) de fabricantes de cigarros e que esse dinheiro teria sido entregue ao marido da governadora e este teria utilizado na compra de uma casa. Fazendo caixa dois do caixa dois.
Além disso, a revista relata que havia gravações que seriam capazes de comprovar todos esses fatos e que Marcelo iria confirmá-las em depoimento ao Judiciário, sendo que morreu antes disso.
O que fica para todos nós é o sentimento de que algo precisa ser feito em relação a todas essas acusações, e que a CPI que está sendo articulada pelo PT não termine em mais uma pizza.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Magaiver





Não é de hoje que vejo em muitas pessoas que convivem em nossa comunidade, uma mediocridade sem precedentes. Penso que essas pessoas vivem no meio das muquiranas, para dizer o mínimo. Talvez até por isso que não consigamos sair do lugar, presos a velhos conceitos que parecem inovadores para as mentes vazias.
De mais a mais, parece que de uns dias para cá esse pensamento vazio está crescendo e invadindo cada vez mais a província dos círculos de poder. É briga de soco aqui e ali. São ataques verbais lá e acolá. É ameaça aberta a imprensa aos sete ventos.
Santiago parece estar vivendo uma anarquia total, onde não existe nem mesmo o respeito e a consideração para com as autoridades constituídas, isso sem mencionar para aquelas pessoas, que mesmo não tendo qualquer obrigação, trabalham para desenvolver nossa cidade e região.
Posso falar de cadeira, pois conheço muitas pessoas que fazem isso por essa municipalidade sem ganhar nada em troca. Se precisar vou até o inferno e volto para defender a ética, a decência e a justiça. As cartas estão na mesa. Basta saber se alguém vai querer jogar. Até porque o bem sempre prevalece. O mocinho nunca morre. O inteligente sobrevive a qualquer adversidade. Quem não lembra do Magaiver.

"Amigos"


Como são as pessoas.... Penso que a pior coisa que existe na vida é ser traído por um amigo. Se bem que quando você é traído por um “amigo” desses, essa pessoa não era sua amiga de verdade. Então, que siga seu rumo. Antes agora do que depois. Amigo que é amigo não toma esse tipo de atitude nunca, jamais. Acredito que poucas pessoas são capazes de entender o sentimento que permeia uma amizade verdadeira. Graças ao bom Deus aprendi e consegui conquistar alguns amigos verdadeiros. Talvez, seja muito da moda velha e até mesmo démodé, em acreditar que exista amizade nesses termos. Todavia, com os poucos amigos que tenho, consigo com segurança continuar acreditando e afirmando isso. Não mudo um milímetro por causa de alguns traidores que já me deparei ao longo de minha caminhada, esses quero distância. Cada um com sua turma. Safado tem que andar com safado.
O próprio tempo vai mostrar a esses traidores o seu destino. Ninguém tem futuro sendo traidor. Ninguém confia em gente de duas caras e bipolares. Hoje podem estar em algum lugarzinho melhor, mas saibam que cada um tem aquilo que merece. Se você faz o bem, recebe o bem de volta. Faz-se o mal.... Logo ele volta para você. É a lei do universo. Está escrito nas estrelas.
Cumpre ressaltar ainda, que quem faz o bem pensando em tirar alguma vantagem ou algo em troca, não consegue ficar muito tempo sem mostrar o seu verdadeiro eu e, como os traidores acaba sozinho.
Para concluir: O mundo se encarregará em retribuir aos traidores suas traições, principalmente quando cravam uma faca nas costas de seus “amigos”.

domingo, 10 de maio de 2009

Nariz de palhaço




Nossos olhos mais uma vez se voltam para o lugar onde é decidido o futuro do Brasil, o Congresso Nacional. Embora alguns já tenham me dito que o lugar onde tudo é decidido é um barzinho ali perto. Conversas à parte, não saem da pauta de debate dos deputados e senadores a reforma política. O que seria muito bom, não fossem as propostas que estão tomando conta da opinião da maioria dos parlamentares dos mais de 20 partidos. Os dois temas centrais são: a votação em listas fechadas e o financiamento público de campanha eleitoral. Explico: votação em lista é quando o eleitor vota apenas em um partido e não mais no candidato.
Cada partido formará uma lista de candidatos e, na eleição, a primeira vaga conquistada será ocupada pelo primeiro da lista e, assim por diante. Então, passaremos a votar unicamente em partidos. O financiamento público é a proibição de doações privadas nas campanhas políticas, para que depois não cobrem favores, ou seja, os candidatos irão fazer campanha com o seu dinheiro. Bonito! Não é?
Essa reforma mudará para pior o sistema eleitoral e apenas beneficiarão os caciques dos partidos que irão colocar seus cupinchas no topo da lista, evitando que o povo os puna quando não satisfeitos com seu desempenho. Além disso, o financiamento público iria ser mais uma maneira de gastar nosso dinheiro de forma inidônea e em nada iria diminuir as doações particulares - que continuariam sendo por fora, (caixa 2). Diante desse quadro, se pode concluir, mais uma vez, que o brasileiro vai pôr um nariz de palhaço.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Mundo Globalizado




Passaram em brancas nuvens os 100 dias do Governo Obama. Ontem, (quinta-feira) a data tão aguardada pela imprensa americana e mundial transcorreu sem muito alarde, não fossem os esforços do presidente americano em tentar mostrar o que foi feito para mudar o mundo nesse período. Doce ilusão.
O motivo do esquecimento de tão importante data de avaliações, foi a Gripe Suína ou do México como muitos já têm chamado. Se bem que em tempos globalizados isso já não assusta mais, eis que já nos deparamos com a Doença da Vaca Louca, Gripe do Frango e agora do Porco.
Entretanto, com essa não se podemos brincar. Devemos levar a sério. Estamos diante de um risco de pandemia. Para quem não sabe o que é esse bicho, ai vai o significado: epidemia que ocorre em grandes proporções, até mesmo por todo o planeta, ou seja, estamos diante de uma ocorrência súbita de em número elevado de pessoas contaminadas por esse vírus no mundo todo, que é transmitido pelo ar.
Como prova disso, a Organização Mundial de Saúde elevou essa semana de 4 para 5 (escala que vai até 6) o risco de pandemia dessa doença, que segundo especulações já poderia ter matado mais de 100 pessoas, contaminado outras 140 em 16 países em 4 continentes.
Não é de hoje que a humanidade sofre com esse tipo de moléstia, a história nos conta outros casos ainda mais graves que este, como a Peste Negra, a Gripe Espanhola e a Gripe de Hong Cong, que mataram milhões de pessoas mundo afora.
De tempos em tempos, até como forma de seleção natural da espécie, como diria Darwin, essas pandemias acontecem, tomara que essa não seja capaz de tamanha matança. Se for o caso, vai ser um verdadeiro teste de fogo para mundo globalizado.

terça-feira, 28 de abril de 2009

Segurança nacional.





Não é de hoje que os parlamentares da Capital da República utilizam suas passagens aéreas em beneficio de terceiros. É uma prática comum e muito antiga. Basta perguntar a qualquer pessoa com influência no mundo político. Entretanto, parece que agora, toda essa farra veio à tona como algo verdadeiramente imoral. Coisa que sempre foi.
Talvez porque os deputados usaram a cota de passagens aéreas para passeios com namoradas, filhos, amigos e até para negócios particulares. Ou ainda porque em época de caça as bruxas isso seja inaceitável ao médio brasileiro. Ou por último, pelo fato de que todo brasileiro fica bravo quando o benefício foi para o vizinho e não a ele próprio.
Apenas para ilustrar a idéia do uso amoral dessas passagens em benefícios de outras pessoas, basta ver que os Deputados Federais, além do salário de R$ 16.500, que até seria pouco para sua responsabilidade, têm o direito a mais ou menos R$ 50.000 para contratar assessores, R$ 15.000 para despesas de manutenção (hospedagem, consultorias, combustível), R$ 3.000 para correios, mais R$ 3.000 para telefone, mais R$ 3.000 para auxílio-moradia e ainda a famosa cota de passagens aéreas que poderá chegar dependendo do Estado do parlamentar a R$ 18.000. Somem para ver o resultado! É mole, ou quer mais?
Isso sem mencionar que até bem pouco tempo essas verbas indenizatórias poderiam ser utilizadas para contratação de qualquer empresa, dando margem para utilização desse dinheiro de forma ainda mais obscura. Seu verdadeiro uso é terra de ninguém. Não se sabe para quem vai nem para quem foi. Isso desde que o mundo é mundo.
Tomara que agora com tamanha notoriedade, seja dado um basta. Temos que ter transparência nos gastos públicos do Congresso Nacional, nem que seja para descobrir que nosso Deputado deu a volta ao mundo de avião e não fez nada. Ou vai me dizer que isso é questão de segurança nacional.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Quem acredita em criminosos?


Lamentável. É o mínimo que se pode dizer do depoimento do delegado Protógenes Queiroz na CPI dos Grampos. Para quem não sabe, esse delegado federal era o responsável pela operação Satiagraha, aquela que apurou crimes e levou à condenação do banqueiro Daniel Dantas a dez anos de cadeia, por tentar comprar um dos delegados que o investigavam.
Surpreendentemente, Queiroz passou de investigador a investigado, sendo suspenso por suspeitas de que ele tenha ultrapassado os limites da legalidade e cometido diversos abusos no decorrer da investigação, isso para dizer o mínimo.
Motivo pelo qual o mundo político passou momentos de muito nervosismo nos minutos que antecederam seu depoimento, pois ele havia prometido que iria dar “nome aos bois e expor os meandros da corrupção do país” que comanda até o subsolo do Brasil.
Pena que ele não tenha cumprido a promessa, pois se negou a responder a maioria das perguntas que lhe foram feitas. Até mesmo aquela sobre os detalhes de um suposto tráfico de influência envolvendo Dilma Rousseff na compra da OI e ainda a cooptação por parte da “organização” de Dantas de um dos filhos do presidente Lula. Não falou nada. Calou-se.
Contudo, é fácil entender os motivos de seu silêncio. Todas as informações sobre a corrupção do país advêm, exatamente, de investigações clandestinas, que não teriam sido autorizadas pelo Judiciário e, por isso, jamais poderiam ser de conhecimento do delegado, que teria investigado até o presidente do STF e o ex-ministro José Dirceu, entre outros.
Esse é o problema do Brasil. Parece que a corrupção está logo ali, porém quando alguém tenta tocar é bloqueado por imunidades, autos cargos, influência. Só virando criminoso para ter acesso, como fez o nobre delegado. Mas quem acredita em criminosos?

terça-feira, 14 de abril de 2009

Lula é “o cara”!


Notório o fato de que os olhos do mundo estavam voltados para a reunião do G-20 em Londres. O que ninguém contava, era com as doces palavras de Obama em relação ao nosso presidente, que digam-se de passagem, repercutiram internacionalmente.
Durante o intervalo da reunião, Obama olha para o primeiro-ministro da Austrália, Kevin Rudd, e diz, apontando para Lula: "Esse é o cara! Eu adoro esse cara!". Como se isso não bastasse, logo em seguida, enquanto Lula cumprimenta Rudd, Obama diz, apontando para Lula novamente: "Esse é o político mais popular da Terra".
O primeiro-ministro da Austrália aproveita a deixa e dispara: "O mais popular político de longo mandato". Obama acrescenta: "É porque ele é boa pinta". Viram só? Isso não é piada.
É inacreditável! Ou não. como já disse o próprio Lula em entrevista, se Obama fosse visto transitando na Bahia, todo mundo pensaria que ele é bainao, eis que o cara é cheio de “balaca”, igual a muitos brasileiros, todavia, uma “balaquento” formado em Ravard, então, devemos refletir sobre suas meigas palavras.
Talvez ele tenha dito que Lula é “o cara” poque o Brasil tem a maior empresa de carne do mundo, a Friboi, ou as maiores empresas de alimentos como a Sadia e a Perdigão. Ou ainda, porque temos a maior siderúrgica - Gerdau ou a maior mineradora - Vale do Rio Doce ou ainda a petrolífera mais avançada tecnologicamente – Petrobras. De quebra os melhores aviões comerciais de médio porte – Embraer. A maior área de soja plantada. É pouco, ou quer mais? Cito mais uma então, temos água para dar e vender.
Isso o Obama sabe, como também sabe que agente está atingindo, aos poucos, o nível político dos países europeus, pois o processo democrático pós ditadura é muito recente e só agora começamos a caça as bruxas da corrupção e mordomias. Então, aos olhos do mundo, Lula é “o cara”!

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Mundo real.


Nada menos que excepcional a mensagem passada pela Justiça Federal de São Paulo para a impunidade no Brasil. Falo da condenação em 1º grau de Eliana Tranchesi, proprietária do famoso shopping de luxo (butique) Daslu. A empresária é acusada de cometer vários crimes contra o sistema financeiro, além de formação de quadrilha, falsificação de documentos e etc., sendo sentenciada a 94 anos e meio de prisão por tais práticas.
Não entro no mérito da discussão jurídica do cabimento de sua prisão ou não no momento, eis que ainda cabe recurso da sentença condenatória, no entanto, evidencio que os impunes no Brasil acabam de tomar um beliscão muito doído em face dessa condenação. Abram o olho, metido a poderoso também é condenado.
Por tudo isso, merece um busto de ouro na Praça dos Três Poderes a Dr. Maria Isabel do Prado, juíza da 2ª Vara Federal Criminal de Guarulhos, que teve a coragem necessária para cutucar a impunidade brasileira e determinar essa prisão, mesmo que fosse revogada no dia seguinte, como de fato ocorreu.
Digo isso com toda a convicção, pois é chegada a hora de terminar com esse sentimento de permissividade, de pode tudo. Agora não é só ladrão de galinha que acaba condenado. Parece que ninguém está livre.
Vamos torcer que essa decisão seja mantida pelos tribunais superiores, do contrário, iremos fazer como o caranguejo que anda um passo para frente e dois para trás. Temos que acabar com esse mundo de fantasia onde só existe a aparência de honestidade. Temos que ser assim no mundo real.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Início do fim...


Chamou atenção essa semana, pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha, que avaliou os governadores do país. Com folga, mais uma vez, o líder do ranking foi Aécio Neves (PSDB), que recebeu um índice de aprovação de 77%. A pesquisa foi realizada do dia 16 ao dia 19 de março, incluindo os nove principais Estados do país e o Distrito Federal.
Para nossa tristeza, também com “louvor”, a governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, foi a mais mal avaliada, com índice de popularidade de 49%, mesmo que ela afirme que está zerando as contas do Estado. Todavia, nem só de contas vive o homem. Dizem que a voz do povo é a voz de Deus. Então, é óbvio que em algum lugar esse governo vai muito mal e, não se pode olvidar da seriedade do Datafolha.
Essa notícia deve bater como uma bomba nas bases desse Governo, ainda mais, em véspera de ano eleitoral, onde a ideia é reeleição. Não bastasse isso, o mesmo instituto realizou pesquisa sobre a eleição para governador do Rio Grande do Sul em 2010, que mostra que o prefeito de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB), divide a liderança na preferência com dois prováveis candidatos do PT, o ex-prefeito Tarso Genro, e o ex-prefeito e ex-governador Olívio Dutra.

O Datafolha apresentou aos entrevistados quatro possíveis cenários para a eleição do próximo ano. Yeda, em todos os cenários apresentados só aparece em terceiro lugar, atingindo taxas baixíssimas de intenção de votos, entre 8% e 9%, mesmo quando confrontada com Germano Rigotto a frente da chapa do PMDB.

Sendo assim, parece que há muita distância entre o que se diz e o que se ouve, entre o que se mostra e o povo gaúcho vê. Investimentos por si só não bastam. É o início do fim...

quinta-feira, 12 de março de 2009

Alguns que existem por ai....

Nada menos que fantástica a visita de Germano Rigotto na cidade de Santiago no dia de hoje. Acompanhei desde sua chegada até sua partida. Méritos do Centro Empresarial e do Ver. Diniz Cogo, que cada vez mais se consolida como a maior liderança política da região do Vale do Jaguari, mesmo sendo de oposição, o que até poderia ser algum demérito para alguns que não enxergam sua coragem, inteligência e capacidade de articulação regional.
Graças aos contatos feitos por Diniz e a liberdade do CES, os empresários de nossa terra puderam participar, com entrada franca, da palestra desse brilhante tributarista - que passeou com desenvoltura por diversos temas - tributários e políticos, dentre eles: a crise mundial e a crise de princípios de identidade que sofre o PMDB nacional. Palestra essa que não sairia por menos de 10 mil reais em grandes centros. Eu pagaria 20 para o ver falar novamente aqui em Santiago, pois domina os temas que se propõe a discutir e principalmente é livre e honesto, duas qualidades que admiro muito em um ser humano.
A única coisa que eu lamento é que precisa vir um grande nome como Rigotto para dizer verdades/coisas que estamos carecas de saber. Antes tarde do que nunca, pois é certo que santo de casa não faz milagres. Mentes são abertas com santos de outros pagos, é assim e parece que sempre será. O jardim do visinho é melhor que o nosso. Não é mesmo?
Contudo, aproveitando o ensejo da vinda dessa verdadeira liderança, é hora de nos organizarmos para as eleições de 2010. Nossa região precisa de representantes como Rigotto. Temos que criar vários Rigottinhos por aqui, que semeiem bons planos de gestão para gerir o dinheiro público e que sejam capacitados para tanto. Chega de gente despreparada, enteada ou forte no discurso que esta lá por simples indicação - agarrados nas tetas dos órgãos públicos como se fossem verdadeiros cabides de empregos em tempo de crise. Chega de mandarmos pseudolideranças para Porto Alegre, como se fossem nossos legítimos representantes. Precisamos de gente com competência, qualificação, liderança legítima, principalmente, somados a honestidade, aqui e lá.
Por tudo isso, desde já, digo que Germano Rigotto tem que ser candidato a governador ou senador como se especula por ai - e abro meu voto para ele. Pois, sem dúvidas, é capaz de desempenhar funções públicas, diferentemente de alguns que existem por ai....

quarta-feira, 11 de março de 2009

Regimento Interno milagroso!



Mais uma vez foi adiada para a próxima Sessão da Assembleia Legislativa do Estado a apreciação do veto da Governadora Yeda sobre o corte do ponto do funcionalismo.

Quem se dedica aleitura do RI nunca fica na mão!


Vamos ver o que vai ser! Ta na hora dos Deps Estaduas votarem...


O Rio Grande quer saber quem é contra e quem é favorável!


Resta aguardar...